Um vício chamado Karol Conka!

daoplay
8 Comentários

Quem duvidou do talento da Karoline ou popularmente conhecida como Karol Conka na escola ficou no chão. É que a toda talentosa e estilosa é considerada hoje como uma das principais referências do rapper feminino. Com batidas fortes e composições inteligentes, Karol traz a essência da música africana com estilo brasileiro e foi com seu estilo único que conquistou e vem conquistando milhares de fãs.

Foi com a música Toda Doida em parceria com Boss In Drama que conheci o estilo e as músicas da Karol Conka. Desde então tornou meu grande vício e topo das músicas mais ouvidas da minha Playlist.

OUÇA A PLAYLIST DA KAROL CONKA 

Além de ter sido indicada ao VMB 2011, Karol ganhou vários prêmios, e em 2015 lançou seu novo clipe “Tombei” em parceria Tropkillaz e já foi visto mais de 1 milhão de vezes. O clipe parece os grandes sucessos das americanas que bombam nas rádios e desde então se tornou uma das mais pedidas das rádios do Brasil, vamos conferir esse babado? #DáOPlay!

Olá, sou o Rodrigo Dias! Me acompanhe no Insta/Snap @papodorooh Bjs


Como é morar com parentes?

familia
12 Comentários

Quando decidimos sair de casa, em busca de novas realidades e batalhar pra conquistar nossos sonhos, um dos principais aspectos a ser destacados é, onde morar? Em meio a pesquisas e condições financeiras, a primeira opção que temos ou que nossa própria mãe nos indica é morar com um parente da cidade grande. Minha história é engraçada porque eu moro com a minha vó, mãe biológica da minha mãe, é que minha mãe foi adotada por outra família lá no nordeste quando bebê e desde então eu não tinha nenhum contato com a minha vó de sangue.

Moro em Hortolândia, interior de São Paulo, mais ou menos 20 minutos para Campinas e desde então minha vida mudou completamente. O que antes era chato fazer pra minha mãe, triplicou quando passei a morar com minha vó porque além de mais velha, a responsabilidade é dobrada, principalmente por estar gerando mais gastos em casa. E então, você precisa de um trabalho ou a ajuda dos seus pais para ajudar nas contas do final do mês, mesmo que seja estranho parecer que você mora de aluguel em sua “própria” casa. Se formos ver as estatísticas, 80% dos jovens tiveram péssimas experiências morando com parentes, eu faço parte desse grupo, em partes. Bom, desde que vim morar com minha vó eu nunca tive problemas dentro de casa, seja com brigas ou coisa do tipo, porém sempre fui alvo de comentários, acredito que pela opção sexual por eles serem de uma religião no qual seguem um padrão correto de comportamento na sociedade (mais quem está dentro de casa sabe que não é nada disso kkk).

Minha vó é engraçada e super moderna, sério. Já acordei várias vezes com ela ouvindo à rádio Jovem Pan no volume máximo. Mass, o que fod* com algumas coisas são os outros parentes em volta, tios, primos, vizinhos e blá blá blá… Só que você não precisa temer de comentários “falsos” ou fofocas ao seu respeito se não tem motivos ou não faz nada de errado (como no meu caso). É que por ser gay, de certa forma eu já sou visado então qualquer passo que eu der será topo mundial do Twitter. Mas quer saber? Morar com parentes tem suas vantagens também, veja porque… Primeiro que você conhecerá uma nova cidade, terá mais opções de lazer e conhecerá novas pessoas e segundo que dependo da família sempre terá aquele churrasco final de semana na casa de um no qual cada um leva um prato né verdade? (Risos). Eu moro a quase dois anos com a minha vó e confesso que estou adorando, mesmo me sentindo só na grande parte do dia, mais quando lembro que tenho minha mãe presente em memória, tudo fica bem e meu me sinto aliviado.

Dica pra se dar bem com seus parentes: Não confunda tio (a) com amigo (a), a primeira oportunidade que eles tiverem pra contar seus segredos pra sua mãe eles irão contar sim. Não compare vó com mãe, apesar de fofas e amáveis na maioria das vezes espalham sua vida pra toda a família. Seja sempre você, dentro de casa, fora dela e na balada. Faça sua parte, ajude dentro de casa e o resto? O resto você mesma (o) toma conta, afinal… A vida é sua! Beijos.

Olá, sou o Rodrigo Dias! Me acompanhe no Insta/Snap @papodorooh Bjs


Meu primeiro emprego…

callcenter
10 Comentários

Alô bom dia! Meu nome é Rodrigo Dias, sou consultor de tal empresa e gostaria de falar com fulana (o) de tal, é você mesma (o)? Tu tu tu tu… Tudo começou há um ano e seis meses atrás, quando eu ainda era um garoto imaturo e inexperiente, onde achava que pudesse me virar sozinho e ter tudo o que eu sempre tive pra vida toda sem precisar trabalhar. Então a partir das 06:00hrs na manhã dos próximos dias, o despertador me acordaria cedo e começaria uma nova fase da minha vida. Assim que cheguei em Hortolândia, interior de São Paulo, minha mãe ainda me ajudava nas despesas então não estava preocupado com muita coisa ainda, pois sabia que tinha alguém pra me ajudar por enquanto. Os dias foram passando, festas chegando e a necessidade de adquirir o que eu queria foi só aumentando e olhava ao meu redor no ônibus ao ir pra faculdade cedo e via jovens com a mesma idade que a minha ou até menor, indo trabalhar cedo. Foi então que tomei vergonha na cara e pensei comigo “acorda pra vida menino”.

Eu nunca imaginei que trabalhar seria tão legal, conhecer pessoas novas e poder ganhar dinheiro com seu próprio esforço, meus primeiros meses na empresa foram fantásticos, saber que teria aquele dinheiro pra eu comprar o que eu quisesse era demais pra mim, eu me sentia incrível e responsável. Dentre muitas possibilidades e escolhas, escolhi trabalhar onde eu tivesse um horário flexível com a minha faculdade, não atrapalhando meus estudos mas cumprindo minha carga horária correta. Mas afinal, onde eu trabalho? Quando cheguei em São Paulo eu queria trabalhar em um lugar onde as pessoas estão sempre sorrindo, bem vestidas e que tenha dinâmica. Pensei em primeiro lugar no shopping, pois sempre que ia fazer umas comprinhas via vários jovens da minha idade trabalhando nas lojas por lá e o melhor, todos estilosos e então pensava comigo, “esse é o emprego que eu quero pra mim”, massssss… Devido ao horário maluco do shopping, resolvi arriscar no Telemarketing mesmo.

Isso mesmo, trabalho com Telemarketing a quase dois anos e tenho orgulho do que eu faço, com esse trabalho reformei o meu quarto aqui em Sampa, comprei tudo o que eu tenho, notebook, sapatos, roupas e outros e ainda saio para onde eu quero. Ainda que não seja tão valorizado, trabalhar num callcenter me fez perceber que não importa onde você trabalha e sim a maneira que você trabalha, você trabalha com algo legal? Na crise no qual o Brasil se encontra, com um índice de desemprego absurdo, me sinto no céu e confesso… Adoro o que eu faço, mesmo insatisfeito com algumas coisas que vejo diariamente. Através do meu trabalho pude conhecer a Ana Carolina, minha melhor amiga aqui em sampa e cá entre nós, me divirto mais que trabalho, pois já acordo disposto a me superar todos os dias, mesmo sendo um saco sofrer pressão.

Dica para quem não trabalha ainda, mas está ingressando no mercado de trabalho: Acredite no seu potencial e dê sempre o melhor de si, as vezes o esforço ou o trabalho em dobro lhe permitirá receber grandes recompensas no final da história. Pare de rótulos, viver de aparência ou ser aquilo que as pessoas querem que você seja, um gari, uma empregada doméstica, um pedreiro… Todos nós temos nosso valor, independente de classe social temos uma função a exercer e se estamos empregados é por que a empresa/responsável acreditou no nosso potencial, não se limite… Viva, liberte-se e faça aquilo que ama fazer, quando fazemos o que gostamos, o trabalho se torna uma verdadeira diversão.

 

Olá, sou o Rodrigo Dias! Me acompanhe no Insta/Snap @papodorooh Bjs


Encaixe de lego

papodorooh
16 Comentários

Acho que eu bebi vinho demais, porque não estou vendo a Frida direito, parece que ela está pintando um cervo, mas tem caveiras pra todos os lados, passam dois segundos e a sua mão está na minha frente de novo, já estava difícil de ver antes, agora então… Ainda bem que eu sei o que se passa. É o meu filme favorito, da minha pessoa favorita no mundo e são as cenas de como eu seria se fosse mexicana e antiga, mas você continua com a mão na minha frente e acariciando meu braço, em cima do lugar que você queimou com cigarro, que depois eu descobri que ficou em formato de coração. Agora que o vinho acabou eu só consigo pensar em como essas calças estão me apertando. Mas se eu tirar vai parecer muito ousada, mas eu também nunca me importei com as coisas que pareciam, então eu tiro. E aí você para de prestar atenção no filme e isso me deixa brava porque eu realmente quero que você a ache tão incrível quanto eu acho. Pareço uma testemunha de Jeová querendo converter um ateu. Ainda bem que eu não ligo pro que pareço. Ainda bem que eu já bebi demais. Eu sei que você não aguenta mais o filme e eu queria que ele durasse até a parte que a Frida encontra a Gabriella e convida ela pra tomar uma tequila, mas não existe no filme, só em mim. De repente você apaga a luz e começa a me beijar, eu gosto de te beijar porque sempre parece que eu to escondida em algum lugar bem quente, e ta bem frio hoje. A gente se aquece.

Leia mais

Olá, sou o Rodrigo Dias! Me acompanhe no Insta/Snap @papodorooh Bjs