Meu primeiro emprego…

callcenter
10 Comentários

Alô bom dia! Meu nome é Rodrigo Dias, sou consultor de tal empresa e gostaria de falar com fulana (o) de tal, é você mesma (o)? Tu tu tu tu… Tudo começou há um ano e seis meses atrás, quando eu ainda era um garoto imaturo e inexperiente, onde achava que pudesse me virar sozinho e ter tudo o que eu sempre tive pra vida toda sem precisar trabalhar. Então a partir das 06:00hrs na manhã dos próximos dias, o despertador me acordaria cedo e começaria uma nova fase da minha vida. Assim que cheguei em Hortolândia, interior de São Paulo, minha mãe ainda me ajudava nas despesas então não estava preocupado com muita coisa ainda, pois sabia que tinha alguém pra me ajudar por enquanto. Os dias foram passando, festas chegando e a necessidade de adquirir o que eu queria foi só aumentando e olhava ao meu redor no ônibus ao ir pra faculdade cedo e via jovens com a mesma idade que a minha ou até menor, indo trabalhar cedo. Foi então que tomei vergonha na cara e pensei comigo “acorda pra vida menino”.

Eu nunca imaginei que trabalhar seria tão legal, conhecer pessoas novas e poder ganhar dinheiro com seu próprio esforço, meus primeiros meses na empresa foram fantásticos, saber que teria aquele dinheiro pra eu comprar o que eu quisesse era demais pra mim, eu me sentia incrível e responsável. Dentre muitas possibilidades e escolhas, escolhi trabalhar onde eu tivesse um horário flexível com a minha faculdade, não atrapalhando meus estudos mas cumprindo minha carga horária correta. Mas afinal, onde eu trabalho? Quando cheguei em São Paulo eu queria trabalhar em um lugar onde as pessoas estão sempre sorrindo, bem vestidas e que tenha dinâmica. Pensei em primeiro lugar no shopping, pois sempre que ia fazer umas comprinhas via vários jovens da minha idade trabalhando nas lojas por lá e o melhor, todos estilosos e então pensava comigo, “esse é o emprego que eu quero pra mim”, massssss… Devido ao horário maluco do shopping, resolvi arriscar no Telemarketing mesmo.

Isso mesmo, trabalho com Telemarketing a quase dois anos e tenho orgulho do que eu faço, com esse trabalho reformei o meu quarto aqui em Sampa, comprei tudo o que eu tenho, notebook, sapatos, roupas e outros e ainda saio para onde eu quero. Ainda que não seja tão valorizado, trabalhar num callcenter me fez perceber que não importa onde você trabalha e sim a maneira que você trabalha, você trabalha com algo legal? Na crise no qual o Brasil se encontra, com um índice de desemprego absurdo, me sinto no céu e confesso… Adoro o que eu faço, mesmo insatisfeito com algumas coisas que vejo diariamente. Através do meu trabalho pude conhecer a Ana Carolina, minha melhor amiga aqui em sampa e cá entre nós, me divirto mais que trabalho, pois já acordo disposto a me superar todos os dias, mesmo sendo um saco sofrer pressão.

Dica para quem não trabalha ainda, mas está ingressando no mercado de trabalho: Acredite no seu potencial e dê sempre o melhor de si, as vezes o esforço ou o trabalho em dobro lhe permitirá receber grandes recompensas no final da história. Pare de rótulos, viver de aparência ou ser aquilo que as pessoas querem que você seja, um gari, uma empregada doméstica, um pedreiro… Todos nós temos nosso valor, independente de classe social temos uma função a exercer e se estamos empregados é por que a empresa/responsável acreditou no nosso potencial, não se limite… Viva, liberte-se e faça aquilo que ama fazer, quando fazemos o que gostamos, o trabalho se torna uma verdadeira diversão.

 

Olá, sou o Rodrigo Dias! Me acompanhe no Insta/Snap @papodorooh Bjs


Encaixe de lego

papodorooh
16 Comentários

Acho que eu bebi vinho demais, porque não estou vendo a Frida direito, parece que ela está pintando um cervo, mas tem caveiras pra todos os lados, passam dois segundos e a sua mão está na minha frente de novo, já estava difícil de ver antes, agora então… Ainda bem que eu sei o que se passa. É o meu filme favorito, da minha pessoa favorita no mundo e são as cenas de como eu seria se fosse mexicana e antiga, mas você continua com a mão na minha frente e acariciando meu braço, em cima do lugar que você queimou com cigarro, que depois eu descobri que ficou em formato de coração. Agora que o vinho acabou eu só consigo pensar em como essas calças estão me apertando. Mas se eu tirar vai parecer muito ousada, mas eu também nunca me importei com as coisas que pareciam, então eu tiro. E aí você para de prestar atenção no filme e isso me deixa brava porque eu realmente quero que você a ache tão incrível quanto eu acho. Pareço uma testemunha de Jeová querendo converter um ateu. Ainda bem que eu não ligo pro que pareço. Ainda bem que eu já bebi demais. Eu sei que você não aguenta mais o filme e eu queria que ele durasse até a parte que a Frida encontra a Gabriella e convida ela pra tomar uma tequila, mas não existe no filme, só em mim. De repente você apaga a luz e começa a me beijar, eu gosto de te beijar porque sempre parece que eu to escondida em algum lugar bem quente, e ta bem frio hoje. A gente se aquece.

Leia mais

Olá, sou o Rodrigo Dias! Me acompanhe no Insta/Snap @papodorooh Bjs


Da Bahia para o mundo!

bom-jesus-ronaldo-silva
6 Comentários

Querido blog, em meio a tantas tristezas e alegrias, hoje resolvi contar um pouco sobre mim. Bom, tudo começou a 19 anos atrás antes mesmo de eu nascer. Acredito que desde a barriga da minha mãe, eu já criava grandes expectativas para durante a minha existência aqui na terra, eu pudesse correr atrás dos meus sonhos. Sou natural de Trindade, interior do estado do Goiás mais nunca conheci minha cidade de nascimento, um ano depois fui para Bom Jesus da Lapa, interior da Bahia para então dar “start” na vida, ufa.

Tive uma infância dos sonhos com direito a tudo o que se tem direito, brincadeiras, confusões e muito, muito estudo. Após concluir o ensino médio e não satisfeito a ter que conviver com a rotina que tinha na minha cidade de anos, resolvi enfrentar novas realidades e escrever minha própria história. Sempre tive tudo o que eu quis na medida do possível, não fui um garoto mimado (mesmo minha vó me tratando como um príncipe), então sempre me virei sozinho, desde a aprender a cozinhar a limpar a casa.

É engraçado como as coisas vão simplesmente acontecendo nas nossas vidas né? Antes quando pequeno, os problemas que pra mim era assustador passam a ser substituídos por outros bem piores e ai percebemos que a vida é realmente muito complexa e complicada sim. E então… “Manhê, to indo pra São Paulo”, isso mesmo. Janeiro do ano passado vim pra São Paulo em busca dos meus sonhos, tanto pela Faculdade dos sonhos (mesmo com os problemas do FIES pretendo voltar o mais rápido possível para o curso), quanto a minha vida de blogueiro que tem me dado um retorno bacana por enquanto, mesmo não dependendo do blog pra sobreviver, pois essa nunca foi minha intenção e sim, compartilhar ideias e experiências.

E então só tenho sorrido os últimos dias desde a nova identidade visual do blog (era um sonho, mais como é caro nunca tive dinheiro pra investir) ficou pronta, e poder ver o retorno de vocês comentando e curtindo meu trabalho não tem dinheiro que pague, sério. São Paulo foi a primeira parada de muitas que estão por vir e tenho fé em Deus de que ele tem obras maravilhosas na minha vida, mesmo não tendo condições financeiras o suficiente pra investir nos meus sonhos eu acredito que quando a gente sonha, tudo se torna real se buscamos alcançar o céu, ele é o limite máximo, certo?

Resumindo em poucas palavras, de norte a sul, do oeste ao sudeste, da Bahia para o mundo, cabe a você mapear as trilhas da vida que você mesma (o) irá percorrer nesse jogo da vida real, não pare em qualquer estação por medo de se atrasar, arrisque… As vezes uma aposta no momento certo se torna grandes soluções. 

Olá, sou o Rodrigo Dias! Me acompanhe no Insta/Snap @papodorooh Bjs


5 motivos para ter um amigo Gay!

amigogay
10 Comentários

Arrasou amiga, ai que tuuuuudo, bota a cara no sol mona! Se tem algo que me deixa extremamente feliz é poder aceitar quem sou, mesmo com tanto preconceito e pressões que a sociedade impõe. Muitas pessoas perguntam o porque de ser gay, se já nasce assim ou se descobre no decorrer do tempo. Bom, eu sempre percebi que fosse desde pequeno, mesmo não me relacionando com outros caras. O que me deixa sempre intrigado é como a sociedade julga os homossexuais, como lixo ou objeto sexual que vai transar com qualquer um na esquina, hello, somos normais e com os mesmos sentimentos que os demais, porém pelo mesmo sexo.

Hoje resolvi falar 5 motivos para ter um amigo gay pois acho que falta mais sorriso no rosto das pessoas, não estou querendo falar que os gays são palhaços (risos) mais por sermos alegres, as vezes até demais acredito que todos deveriam ter um gay pra chamar de seu, veja porque…

Leia mais

Olá, sou o Rodrigo Dias! Me acompanhe no Insta/Snap @papodorooh Bjs