Que o varejo de moda é um mercado com grande participação feminina não é nenhuma novidade. Mas dentro da cadeia têxtil elas estão ocupando áreas que até pouco tempo eram comandadas por homens. Na fábrica da Riachuelo em Natal, um dos maiores parques fabris de confecções das Américas, é uma mulher quem comanda um dos setores de produção. Mas ela não é exceção.

Na Riachuelo, as mulheres ocupam 57% de posições de liderança, média maior que a nacional, que é de 37%, segundo o levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017. Elas estão à frente das áreas de Marketing, Visual Merchandising, RH, Jurídico, Contabilidade, Estilo, Loja e Produção. A grande maioria fez carreira na companhia.

Do quadro total de colaboradores, as mulheres também são muito mais da metade – 69%. “A grande ocupação de mulheres na Riachuelo aconteceu de forma orgânica. Somos uma empresa plural e democrática, que apoia a diversidade e reconhece seus colaboradores independente do gênero”, explica Marcella Kanner, gerente de marketing da Riachuelo.

A Riachuelo tem 40 mil colaboradores divididos entre a sede administrativa da companhia, em São Paulo, a Midaway, braço financeiro da Riachuelo, 300 lojas em todos os estados do país, duas fábricas ( Natal e Fortaleza), três centros de distribuição (São Paulo, Manaus e Natal), um shopping do grupo (Midway Mall), também em Natal, dois complexos culturais (Teatro Riachuelo em Natal e Rio de Janeiro) e um Contact Center próprio na capital potiguar. Leia mais